quarta-feira, 9 de julho de 2014

Müller diz que brasileiros não mereciam goleada: "dói em nosso coração"


Companheiro de diversos jogadores da seleção brasileira no Bayern de Munique, Thomas Müller acredita que os amigos do Brasil não mereciam a humilhante derrota por 7 a 1, que aconteceu nesta terça-feira, no Mineirão.
"Os jogadores do Brasil são super jogadores, com qualidade. Não mereciam isso. Com todo o estádio e torcida, perder de 7 a 1, isso dói no nosso coração. Meus amigos do Bayern não mereciam, mas o futebol é assim", disse em entrevista ao SporTV.
Autor de um dos gols da Alemanha, Müller não acredita que a seleção alemã vá golear novamente na decisão, que será contra Argentina ou Holanda. 
"Acho que a final será justa, resultado apertado. A Holanda é uma grande seleção. Argentina tem Messi, Higuain. Os dois têm bons jogadores, ataque. Que nos aguardem e espero que possamos fazer um bom jogo", afirmou. 
Do UOL, em São Paulo

Felipão é o maior culpado pelo vexame do Brasil

Técnico conseguiu errar tudo nesta Copa do Mundo e acabou no vexame contra a Alemanha
Do R7
A seleção brasileira sofreu nesta terça-feira (8) a maior humilhação da sua história. Também pudera. Um time que treina pouco, e errado, entrou no Mineirão, com uma escalação completamente torta para enfrentar a Alemanha. Luiz Felipe Scolari, o comandante da vergonha em Belo Horizonte, acabou de jogar no lixo sua história no pentacampeonato e passará a ser lembrado pelo maior vexame escrito em verde e amarelo, em uma semifinal de Copa do Mundo.

O sempre retranqueiro Felipão abriu o time justamente para jogar contra a melhor equipe da competição. Diante de um meio-campo alemão para lá de insinuante, Luiz Gustavo e Fernandinho não viram a cor da bola.  Não por culpa deles. Não se pode virar de ponta cabeça jogadores só esforçados e esperar que algo dê certo. Os adversários tocavam como se estivessem em um churrasco com os amigos. A coragem resultou em vexame. Foram quatro gols em sete minutos.

Ronaldinho Gaúcho, Kaká... Até mesmo Luís Fabiano. Todos esses são nomes de respeito no cenário internacional e que poderiam ajudar a seleção brasileira. Mas Felipão preferiu seus garotos mimados. Sem brio, Oscar, Hulk e o imóvel Fred aceitaram a pelada oferecida pelos alemães. Levaram a maior surra de todos os tempos. O pobre do Bernard não fazia ideia de onde estava e não conseguiu dominar uma bola. 

Klose supera Ronaldo na artilharia das Copas

Juntar os cacos para disputar a terceira colocação? Pouco adi
anta. Felipão mais uma vez deve sortear os jogadores que entrarão em campo.  

Casagrande detona Seleção na Globo: “um bando de pessoas correndo dentro de campo. Não temos um time”

Casagrande foi dos mais irritados da equipe da Globo com péssima atuação da Seleção (Reprodução/Globo)Incomodado com a má atuação da Seleção Brasileira no vexatório primeiro tempo na semifinal contra a Alemanha, derrota por 5 a 0, o ex-jogador comentarista da Globo, Walter Casagrande, detonou o time de Luiz Felipe Scolari e derramou-se em elogio aos alemães.
"Galvão, quanto tempo de jogo temos?, perguntou. "Neste momento, Casagrande, nós temos 38 minutos". E Casão disparou: "eles têm mais time que a gente, eles jogam melhor que a gente. Taticamente, eles estão mais postados em campo. Nós temos um bando de pessoas correndo dentro de campo. Nós não temos um time."
"Não temos um time armado, taticamente, sabendo o que vai fazer. Nós não sabemos nada do que tá acontecendo dentro de campo. Só a Alemanha joga. Só tem um time de futebol em campo", completou ele, visivelmente irritado com o vexatória rendimento do time comandado por Felipão.
"É muito triste. Perder é do jogo, isto é futebol, é esporte, é uma Copa do Mundo, mas perder o primeiro tempo dessa maneira, olhando o adversário fazendo um gol atrás do outro, jamais ninguém tinha visto", também falou forte, o narrador Galvão Bueno, após o término do primeiro tempo patético da Seleção Brasileira, nesta terça, no Mineirão.

Brasil sofre maior humilhação da história e perde por 7 a 1 da Alemanha

Do R7
Seleção assistiu a Alemanha jogarVipcomm
Vexame. Massacre. Piada. Chamem como quiser.

O povo brasileiro nunca se sentiu tão humilhado. Felipão, David Luiz, Bernard, Fernandinho, Fred. Todos. Não faltam culpados para o pior jogo da história da seleção do Brasil.
Classificação e jogos

O que aconteceu na tarde desta terça-feira (8) no Mineirão é algo inadmissível no País do futebol. Deixa no ar uma revolta sem precedentes. Incrédulos, mais de 200 milhões de brasileiros assistiram ao banho de bola que a seleção da Alemanha deu numa seleção que dá vergonha chamar de 'nossa'.

Não é nossa. É de um técnico que mostrou que não sabe armar uma equipe à altura de uma semifinal em casa. É de uma comissão técnica que parece não conhecer o adversário. Quem assistiu ao vexame histórico dos jogadores brasileiros com certeza redefiniu o conceito de vergonha.

Foram 4 gols em seis minutos. O placar já marcava 5 a 0 aos 28 minutos do primeiro tempo. Muller, sozinho na área após cobrança de escanteio, abriu o placar aos 10min. Klose, aos 22min, Kroos, aos 24 e aos 26, e Khedira, aos 28, fizeram uma semifinal de Copa do mundo parecer fácil.
Graças, é claro, ao total despreparo da comissão técnica e dos jogadores brasileiros. Fernandinho, por exemplo, entregou dois gols. David Luiz falhou feio, Dante nem se fale. Luiz Gustavo não marcou, os laterais não defenderam nem atacaram.
Hulk. Fred. Oscar. Em que planeta eles merecem ser titulares da seleção pentacampeã? No nosso, está provado: Não.

No intervalo, Felipão e sua sensacional comissão técnica escolheram dois culpados: Fernandinho e Hulk. O primeiro saiu para a entrada de Paulinho. O segundo deu lugar a Ramires.

Fred continuou em campo, no que pareceu uma afronta do treinador ao povo que tentou alertá-lo, sem sucesso, que um camisa 9 não pode passar uma Copa inteira sem tocar na bola. Tanto é que passou a ser vaiado pelo Mineirão inteiro quando chegava perto dela. Aos 27, saiu para a entrada de Willian.
Considerando o placar da primeira etapa, o segundo tempo do Brasil foi menos pior, é claro. E só serviu para mostrar duas coisas:

Primeiro, que a Alemanha, elegantemente, poupou o Brasil de uma catástrofe ainda maior. Fez apenas dois gols a mais, com Schurrle, aos 22 e aos 34min.

Segundo, que Felipão errou demais ao escalar o time que iniciou o jogo.

Além dos 7 a 1 (sim, Oscar fez um), o gol de Klose, o segundo da Alemanha, foi o 16º dele em Copas do Mundo. Com isso, se tornou o maior artilheiro da história dos Mundiais.
Tá lendo por quê? O futebol brasileiro perdeu para a arrogância

No final, o tão falado Maracanazo, de 1950, quando o Brasil perdeu por apenas 2 a 1 para o Uruguai, no Maracanã, não foi nada perto do Mineirazo.
   gzgzgzgzgzgz gzgzgzz gzzggzgz 
Parabéns aos envolvidos no maior vexame da história do futebol brasileiro. Nós não precisamos de vocês.  

Seleção deixa estádio sob gritos de vergonha

A seleção brasileira deixou o Mineirão após a humilhante derrota para a Alemanha, por 7 a 1, nas semifinais da Copa do Mundo, sob gritos de vergonha no portão do estádio em Belo Horizonte.
Diferentemente das milhares de pessoas que recepcionaram aos gritos a seleção na chegada ao Mineirão, poucos torcedores esperaram o time brasileiro na saída do estádio.
A seleção demorou cerca de 2h30min. para deixar o local no qual sofreu sua pior derrota na história.
O time viaja, agora, para o Rio de Janeiro, de onde se deslocará para Teresópolis, na Granja Comary, onde treina para a disputa de 3° lugar, no próximo sábado, em Brasília, contra o derrotado no duelo entre Holanda e Argentina.
Luiza Oliveira
Do UOL, em Belo Horizonte

Fred é o centroavante mais ineficaz do Brasil desde 1966

Fred ainda tem mais um jogo para tentar desbancar a marca negativa. Mas em 19 edições da Copa do Mundo antes de 2014, só houve uma vez em que o jogador convocado e escalado pela seleção brasileira para fazer gols apresentou desempenho menos eficaz que o de Fred, que marcou apenas um gol em seis partidas vestindo a camisa 9 nesta Copa. Em 1966, a exceção: o centroavante Alcindo acabou eliminado com o Brasil na primeira fase com dois jogos e nenhum gol marcado. 
Em 2014, a ineficiência do centroavante concentrou em Neymar, o ponta esquerda, a responsabilidade por marcar gols. E colaborou para a eliminação nesta terça-feira, diante da Alemanha, na semifinal.
O único gol de Fred saiu contra Camarões, na terceira e última partida da fase de grupos. O Brasil venceu por 4 a 1 – foi o terceiro da seleção no jogo. O solitário gol do camisa 9 na Copa, tão difícil de acontecer, foi feito em finalização com o rosto ao tentar cabecear a bola. Fred passou em branco contra Croácia, México, Chile, Colômbia e, finalmente, Alemanha. Nesta terça-feira, o pior: foi completamente vaiado pelos torcedores nas arquibancadas do Mineirão, que um dia foi seu lar. 
 
Historicamente, o Brasil sempre dependeu de seu centroavante – na maioria das vezes com a camisa 9 – durante as campanhas nas Copas do Mundo. Luis Fabiano foi talvez o melhor jogador do time de Dunga na África do Sul, em 2010, que também caiu nas quartas de final. Fez três gols nos mesmos cinco jogos. Repetiu o número da última Copa de Ronaldo, em 2006 – três gols em cinco jogos, também. Antes, o Fenômeno fez oito gols em sete jogos, em 2002, e quatro gols em sete jogos, em 1998.
 
Romário (1994), Careca (1990 e 1986), Serginho Chulapa (1982) e Roberto Dinamite (1978) também tiveram desempenho melhores que o de Fred. Nenhum deles conseguiu atingir o Ronaldo de 2002, mas todos conseguiram jogar e marcar o suficiente para não serem alvos principais de críticas. A exceção da lista histórica de centroavantes está para a Copa de 1974, quando Zagallo, técnico, armou um time que não tinha uma referência fixa na área.
 
Em 1974, o Brasil jogou a Copa em um 4-3-3 que teve cinco trios de ataque diferentes em sete jogos. Não havia centroavante. Jairzinho, ponta, sempre pelas laterais do setor ofensivo, chegou a ser colocado como referência do ataque e pediu para voltar à função de origem. Valdomiro, também fora da posição, foi escalado. Leivinha, Edu, Mirandinha, Dirceu e Paulo Cesar Lima também jogaram como titulares em meio à indecisão tática. Jairzinho , que jogou os sete jogos como titular – mas não como centroavante –, acabou a Copa com apenas um gol.
 
Agora, Fred precisará marcar dois gols em Brasília para não fechar o torneio como o segundo pior centroavante brasileiro na história das Copas, na disputa do 3º lugar, contra o perdedor do confronto entre Argentina e Holanda – acontece nesta quarta-feira, às 17h, no Itaquerão. A próxima partida do Brasil, no Mané Garrincha, será no sábado, às 17h.
 
OS CENTROAVANTES DO BRASIL EM COPAS:
 
1930: Preguinho – 3 gols/2 jogos
1934: Leônidas da Silva – 1 gol/1 jogo
1938: Leônidas da Silva – 7 gols/4 jogos
1950: Ademir Menezes – 9 gols/8 jogos
1954: Baltazar – 1 gol/2 jogos
1958: Vavá – 5 gols/4 jogos
1962: Vavá – 4 gols/6 jogos
1966: Alcindo – 0 gol/2 jogos
1970: Tostão – 2 gols/6 jogos
1974: --
1978: Roberto Dinamite – 3 gols/5 jogos
1982: Serginho Chulapa – 2 gols/5 jogos
1986: Careca – 4 gols/5 jogos
1990: Careca – 2 gols/4 jogos
1994: Romário – 5 gols/7 jogos
1998: Ronaldo – 4 gols/7 jogos
2002: Ronaldo – 7 gols/7 jogos
2006: Ronaldo – 3 gols/ 5 jogos
2010: Luis Fabiano – 3 gols/5 jogos
2014: Fred – 1 gol/6 jogos
 
Guilherme Palenzuela
Do UOL, em São Paulo

terça-feira, 8 de julho de 2014

Deputado Antônio Jácome realiza visita pastoral em São José do Seridó e fala sobre projeto político para 2014

 Deputado Antônio Jácome em entrevista ao repórter Carlos Felipe (Jornal Correio do Seridó e Rádio Bonita FM) 

O deputado estadual Antônio Jácome (PMN) esteve realizando visitas pastorais no sábado (05) nas cidades de Mossoró, Jucurutu e São José do Seridó. 

Antônio Jácome falando aos presentes na Igreja Realidade em Cristo, na sua visita pastoral 

Em São José do Seridó, o deputado Antônio Jácome esteve acompanhado do seu filho, o vereador natalense Jacó Jácome (PMN). Eles participaram da visita pastoral na Igreja Realidade em Cristo. 

Deputado Antônio Jácome visitando o templo em construção da Igreja Assembleia de Deus Madureira ao lado do Pastor Cândido, da Diaconisa Gorete e do Professor Rômulo Targino 

“É um trabalho que me gratifica muito há 30 anos. Até antes de ter mandato eletivo, eu já visitava todas as Igrejas. Graças a Deus, a gente tem um bom relacionamento, não apenas com a Assembleia de Deus, mas com todas as denominações evangélicas”, disse Antônio Jácome. 

Ele lembrou que esteve recentemente no evento Celebrai em São José do Seridó, sendo uma noite muito importante para a evangelização da cidade. Em São José do Seridó, no sábado, à noite, Antônio Jácome fez alguns contatos com os pastores, obreiros e ouviu demandas sociais, as reivindicações, os problemas ligados à segurança, a saúde e a desertificação. 

“Como deputado estadual, eu tenho responsabilidades e compromissos com todas as cidades do Rio Grande do Norte. Em São José, eu vim ouvir as lideranças evangélicas e também falar do nosso projeto político de 2014”, afirmou Jácome. 

Ele confirmou que já teve a sua candidatura homologada em convenção para deputado federal. “Jacó Jácome também foi convocado pelo PMN para manter a cadeira que foi nossa durante quatro mandatos na Assembleia Legislativa. Ele é um vereador de Natal e um jovem muito vocacionado para a política e veio também nos acompanhando nesse trabalho. A campanha vai ser oficializada nesta semana pela Justiça Eleitoral e nós vamos fazer o trabalho que nós sempre fizemos. É um trabalho de conscientização política e quero registrar o apoio importante do vereador Joseni (Solteiro) em São José do Seridó, um jovem idealista que tem mostrado no início da sua vida pública toda a vocação para servir e o interesse em apoiar os eventos evangelísticos e tem sido uma ponte de ligação com a cidade de São José do Seridó”, enfatizou Antônio Jácome. 

Deputado Antônio Jácome ao lado do Pastor Geraldo, do Vereador Jacó Jácome, do Vereador Joseni Santos (Solteiro), do Professor Rômulo Targino e outras lideranças locais de São José e zona rural 

Preocupado com o avanço das drogas no Rio Grande do Norte, o deputado Antônio Jácome confirmou que a droga é o grande problema do terceiro milênio. 

De acordo com Jácome, a droga está na menor cidade e no menor distrito e trazendo infelicidade para milhares de famílias, sendo 2 milhões de brasileiros usuários de crack, sem falar nas outras drogas. 

Na Assembleia Legislativa, o deputado Antônio Jácome preside a Frente Parlamentar de Combate ao Crack e tem feito audiências públicas, projetos de lei e muitas iniciativas, no sentido de chamar a atenção, não apenas do Poder Público, da Polícia, mas também da família, das classes representativas e da sociedade civil. 

“Contra a droga ou se une todo mundo ou nós vamos continuar perdendo a batalha. Espero que o nosso projeto político receba eco e apoio da população para a gente continuar esse grande trabalho”, salientou Antônio Jácome em entrevista ao repórter Carlos Felipe (Jornal Correio do Seridó). 


Por Paulo Júnior 
Jornal Correio do Seridó

Vereador Jacó Jácome realiza visita pastoral no Seridó e fala sobre novo desafio na política do RN


O Vereador Jacó Jácome (PMN) esteve realizando visitas pastorais nos municípios de Mossoró, Jucurutu e São José do Seridó, no sábado, dia 05 de julho. Jacó esteve acompanhado do seu pai, o deputado estadual Antônio Jácome.
“Nós estamos realizando essas visitas e conhecendo a realidade local das Igrejas evangélicas. Nós estamos vendo em todo o Rio Grande do Norte, o crescimento do Evangelho, com mais igrejas, mais pastores e membros e com esse crescimento precisamos reafirmar o nosso apoio. Também aproveitamos a nossa visita pastoral como forma de conscientizar o processo eleitoral que vamos vivenciar em 2014, quando lutaremos incessantemente para eleger o nosso candidato a deputado federal pelo Rio Grande do Norte, o primeiro evangélico se Deus quiser, o deputado Antônio Jácome”, afirmou Jacó.

Ele também revelou que veio mostrar o que o levou a sua candidatura a deputado estadual. “Levantamos bandeiras como o combate as drogas, a pedofilia, contra o aborto e principalmente nas questões da juventude. Essas bandeiras e demandas, nós vamos continuar levando para todo o Rio Grande do Norte, quando for eleito deputado estadual e mantendo a cadeira conquistada pelo povo evangélico do nosso Estado”, afirmou.

O Vereador Jacó Jácome mostrou sua preocupação com o avanço das drogas no Rio Grande do Norte. Jacó relata que em Natal realiza um trabalho que tem duas frentes: a prevenção e a questão do combate, onde apoia as casas de dependentes químicos. “O jovem que está envolvido com esse problema e que precisa se recuperar, ele tem que ter o apoio religioso, psicológico e de trabalho. Quando nós envolvemos o jovem com qualificação profissional e que tem uma perspectiva de ter um emprego, ele vai sair das drogas com mais facilidade”, salientou Jacó Jácome.
Ele ainda comentou sobre o crescimento da violência na sociedade atual. “É resultado de muitos problemas, sendo um deles a questão das drogas. Nós vemos a banalização da vida, onde homens e mulheres são assassinados por uma pequena quantia financeira, por causa das drogas e acerto de contas. Nós temos que acabar com a raiz e investir na educação e na prevenção as drogas. É importante apoiarmos a religião, a Igreja Evangélica que faz um trabalho preventivo de combate e prevenção, quando nas suas igrejas pega jovens, recupera jovens, homens e mulheres que estavam desacreditados pela sociedade e a igreja trabalha com a sua recuperação. Os nossos governantes precisam entender que é importante o trabalho cristão e o investimento na educação para que lá na raiz, a gente não veja esses problemas se desencadearem”, revelou.

Jacó agradeceu a acolhida em São José do Seridó feita pelos pastores das Igrejas Realidade em Cristo e Madureira, lideranças locais e o apoio do Vereador Joseni Santos de Medeiros (Solteiro).

“Estamos atentos, corajosos e firmes em defesa daquilo que nós acreditamos, nos nossos princípios, na nossa Igreja, no nosso povo, do cidadão popular e comum do Estado do Rio Grande do Norte”, concluiu Jacó Jácome. 

Por Paulo Júnior 
Jornal Correio do Seridó