quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Vasco sucumbe ao nervosismo e perde para o Nacional

Time uruguaio faz valer experiência em Libertadores, e equipe cruz-maltina sofre 2 a 1 em São Januário em sua volta à Libertadores

por Gustavo Rotstein e Thiago Fernandes

De um lado, uma equipe que marcava sua volta à Libertadores após 11 anos. Do outro, o time que disputava sua partida de número 326 na competição – o recordista do torneio –, dono de três títulos e que compete pela 16ª vez consecutiva (39 vezes no total). Mesmo atuando em São Januário, a tradição copeira do Nacional de Montevidéu foi o principal fator que o levou à vitória por 2 a 1 sobre um nervoso Vasco, em partida realizada nesta quarta-feira, pela primeira rodada do Grupo 5.


O Vasco terá de esperar quase um mês para buscar a reação na Libertadores. No dia 6 de março o time joga novamente em São Januário, desta vez contra o Alianza Lima, do Peru. Já o Nacional retorna a campo apenas no dia 16, recebendo o Libertad, do Paraguai. O próximo compromisso do time cruz-maltino será neste domingo, contra o Fluminense, no Engenhão, pela quinta rodada da Taça Guanabara.


Início nervoso
Quando a bola rolou, a ansiedade se manifestou na forma de nervosismo. Perdido em campo, o Vasco apenas olhava o Nacional tocar a bola e chegar ao ataque com relativa facilidade. O time brasileiro se mostrava perdido na marcação e deixava pelo menos um adversário livre para receber a bola. Mas, por sorte, os uruguaios falharam nas tentativas a gol e aos poucos a equipe da casa equilibrou a partida.


O clima de apreensão começava a tomar conta de São Januário. A torcida, até então empolgada, se calou e apenas assistia à partida. O Vasco acertou sua marcação e teve sucesso chegando ao ataque pelas laterais. Passou a pressionar o Nacional, mas pouco arriscava ao gol. O primeiro chute saiu apenas aos 22 minutos, quando Diego Souza finalizou por cima da baliza de Burián uma bola trabalhada em velocidade com a participação de Thiago Feltri, Felipe e Alecsandro.

Nenhum comentário: