domingo, 25 de março de 2012

Ferrari acerta na estratégia e Alonso vence prova caótica na Malásia; Senna chega em 6º

Para amenizar a crise na Ferrari, nada como a combinação do talento de Fernando Alonso com a imprevisibilidade do clima no GP da Malásia. Ajudado pela estratégia da equipe nas trocas de pneu em uma prova marcada pela forte chuva, o espanhol deixou Lewis Hamilton para trás ainda nos boxes, resistiu à pressão da Sauber de Sergio Perez nas últimas voltas e venceu para assumir a liderança do Mundial.
A segunda colocação de Sergio Perez fez o chefe da equipe Peter Sauber chorar nos boxes. O inglês Lewis Hamilton, que largou na pole, chegou em terceiro e completou o pódio. 
Se a Ferrari de Fernando Alonso mostrou um desempenho surpreendente na chuva, o mesmo não se pôde dizer sobre Felipe Massa. O brasileiro fez mais uma corrida instável, sofreu com o equilíbrio do carro e, sem velocidade nas retas, não passou de um 15º lugar.
Por outro lado, Bruno Senna fez a sua melhor corrida na Fórmula 1. Após largar em 13º, o brasileiro chegou a correr em último lugar, mas abusou das ultrapassagens e conseguiu chegar na sexta posição.

GP da Malásia

Foto 8 de 15 - Largada do GP da Malásia só teve incidentes envolvendo Michael Schumacher e Romain Grosjean, que acabou abandonando Prakash Singh/AFP

RESULTADO EM SEPANG

1. Fernando Alonso (ESP/Ferrari)
2. Sergio Perez (MEX/Sauber)
3. Lewis Hamilton (ING/McLaren)
4. Mark Webber (AUS/Red Bull)
5. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus)
6. Bruno Senna (BRA/Williams)
7. Paul di Resta (ESC/Force India)
8. J. Vergne (FRA/Toro Rosso)
9. Nico Hulkenberg (ALE/Force India)
10. M. Schumacher (ALE/Mercedes)
15. Felipe Massa (BRA/Ferrari)
A agressividade de Senna deu resultado depois da relargada da prova, que foi interrompida por 51 minutos por uma bandeira vermelha na nona volta, já que a pista encharcada não tinha condições de corrida.
Antes da paralisação, o mexicano Sergio Perez fez uma parada precoce nos boxes para colocar pneus de chuva, e se deu bem. Após a bandeira vermelha, o piloto da Sauber já estava em terceiro lugar.
A relargada foi feita com os carros ainda atrás do safety car, na abertura da 14ª volta. Foi a hora do líder Lewis Hamilton entrar nos boxes para recolocar pneus intermediários, seguido por Fernando Alonso. A McLaren perdeu tempo, e o espanhol voltou à frente do inglês para assumir a ponta.
Hamilton voltou atrás de Perez, e passou a sofrer com a queda de rendimento da McLaren na chuva, enquanto a Sauber e a Ferrari de Alonso aumentavam a vantagem lá na frente. Jenson Button caiu para as últimas posições ao tocar a HRT de Narain Karthikeyan, e acabou não pontuando.
O bicampeão mundial Sebastian Vettel também tocou em Karthikeyan e perdeu tempo nos boxes, tendo que se contentar com o 12º lugar. As Mercedes de Nico Rosberg e Michael Schumacher também caíram muito de performance na chuva, mas o heptacampeão chegou em décimo e assegurou um ponto.
Felipe Massa voltou a sofrer com o desgaste dos pneus e, após ficar em oitavo por boa parte da corrida, se atrapalhou ao tentar ultrapassar Rosberg e precisou voltar aos boxes. No pelotão intermediário, não teve velocidade para conseguir ultrapassagens e ficou preso na 15ª posição.
No final da prova, a Sauber de Sergio Perez se aproximou vertiginosamente de Alonso e chegou a ameaçar a liderança do espanhol. Mas um erro nas voltas finais impediu a primeira vitória da história da Sauber, e Alonso festejou a sua vitória mais improvável.
Do UOL, em São Paulo

Nenhum comentário: