segunda-feira, 14 de maio de 2012

Sarney propõe pauta com ‘esforços concentrados’ até eleições


Rodrigo Baptista
Em seu retorno ao Senado após 30 dias de licença para tratamento de saúde, o presidente do Senado, José Sarney, afirmou que a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista para investigar a relação do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com agentes públicos e privados não interfere na atividade legislativa.
Sarney também elogiou a vice-presidente do Senado, Marta Suplicy (PT-SP), pela forma como conduziu os trabalhos da Casa durante sua ausência e agradeceu o apoio recebido de políticos e jornalistas no período em que esteve internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.
- A senadora Marta fez um trabalho excepcional. Durante esse mês, o Senado funcionou muito bem e votou matérias importantes e o problema da CPI não tem nada que interferir nos nossos trabalhos. A CPI é uma comissão prevista na Constituição e tem autonomia, tem vida própria e não interfere de nenhuma maneira nos trabalhos da Casa – disse Sarney ao chegar ao Senado.
Sarney também comentou a convocação de Carlinhos Cachoeira para depor nesta terça-feira (15) na CPI.
- O senhor Cachoeira realmente é a figura mais visada, e que tem que ser investigado o máximo possível para averiguar até aonde essa rede se estendia – afirmou.
Prioridades
Sem citar projetos, Sarney afirmou que as proposições mais importantes para o governo já foram votadas pelo Senado este ano. Com a aproximação do período eleitoral, ele defendeu a realização de esforços concentrados para a votação de matérias consideras prioritárias pelas lideranças partidárias.
- Teremos que marcar datas específicas para fazer esforços concentrados, como se faz todos os anos que têm eleições e escolher as matérias que devem ser prioritárias. Antes de me afastar, havíamos pedido aos partidos para fazer uma relação das matérias que julgassem importantes para que estabelecêssemos pautas específicas para votação – informou.
PMDB
Sarney preside nesta segunda-feira sessão solene do Congresso Nacional para comemoração dos 46 anos do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), no Plenário do Senado. Ele também participa da cerimônia de lançamento da Agenda de Atenção Básica à Primeira Infância no Palácio do Planalto.
- Escolhi para voltar hoje para assistir à sessão dos 46 anos do PMDB, que é o grande partido das causas sociais. O PMDB é o partido que no Brasil foi responsável pela luta pela democracia e pela instauração da democracia – afirmou.
Agência Senado

Nenhum comentário: