quinta-feira, 24 de maio de 2012

Walter Pinheiro vê risco de prejuízos a estados e municípios com medidas econômicas


Da Redação
O senador Walter Pinheiro afirmou, nesta quarta-feira (23), que as medidas de estímulo à economia anunciadas nesta semana pelo governo podem ter efeitos negativos para estados e municípios. Apesar de reconhecer o efeito favorável ao conjunto da produção industrial, o senador entende que a medida tem influência direta no Fundo de Participação dos Estados (FPE) e no Fundo de Participação dos Municípios (FPM).
- São recursos que chegariam na mão de estados e municípios com a finalidade de estimular a atividade econômica local - disse.
As medidas anunciadas pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, incluem a redução das alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidentes sobre o crédito para pessoa física; das alíquotas do Imposto sobre Produto Industrializados (IPI) na venda de veículos e a redução das taxas de juros do Programa de Sustentação de Investimento (PSI).
Para o senador, as renúncias, da forma como feitas atualmente, subtraem do cenário o caminho de fortalecimento da infraestrutura, que teria como base a educação.
- A medida tira dinheiro desse pilar estruturante. Os recursos deixarão os estados e os municípios, mais uma vez, sem a capacidade de cumprirem as suas obrigações com a educação - afirmou.
O senador defendeu uma discussão mais profunda, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), sobre os rumos da economia do país. Assim, afirmou, seria possível sair dos pacotes e fazer algo verdadeiramente estruturante pelo Brasil.
Dívidas dos estados
Walter Pinehiro também defendeu a alteração no indexador das dívidas dos estados, além do aumento do prazo para pagar o valor devido. As dívidas dos estados, dos municípios e do Distrito Federal são um dos temas discutidos por uma comissão de 14 especialistas que estuda o pacto federativo no Senado.
As discussões sobre o pacto federativo poderão ser acompanhadas por meio de página multimídia produzida pela Agência Senado em parceria com os demais veículos da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secs).
Agência Senado

Nenhum comentário: