terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Concurso Ministério da Fazenda: 1.026 vagas de 2º grau. Veja tópicos de Português


O Ministério da Fazenda segue trabalhando na preparação do concurso para 1.026 vagas de assistente técnico-administrativo (nível médio), autorizado no início do mês passado. O órgão tem feito reuniões com a Esaf, responsável pela organização do concurso, nas quais estão sendo discutidos pontos como as disciplinas que serão cobradas nas provas e a distribuição das vagas por estado e unidades ou órgãos vinculados ao ministério.
A última informação é a de que o edital de abertura, que já está sendo elaborado, será divulgado até o fim deste mês. O cargo de assistente técnico-administrativo do Ministério da Fazenda é aberto a quem possui pelo menos o ensino médio completo e proporciona, além de estabilidade (contratação pelo regime estatutário), remuneração inicial de R$3.175,82, já com o auxílio-alimentação, de R$373. A carga de trabalho é de 40 horas semanais.
As 1.026 vagas liberadas pelo Ministério do Planejamento para a seleção serão distribuídas por 25 estados, incluindo o Rio de Janeiro, que poderá ser a lotação com maior número de chances. Isso porque no último concurso, com alcance nacional e aberto em 2009 (o primeiro promovido para o cargo), o estado recebeu menos vagas apenas do que São Paulo, que assim como o Distrito Federal (outro que costuma contar com um grande número de vagas), não fará parte da seleção, por contar com concurso vigente até novembro do ano que vem. Em 2009, de um total de 2 mil vagas, 226 foram para o Rio contra 368 para São Paulo. A princípio, as oportunidades  serão em sua maioria para atuação na Receita Federal, além da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e Superintendências de Administração do Ministério da Fazenda (SAMFs), em menor número. As nomeações estão previstas para até o início de junho do próximo ano.

Orientação - No que diz respeito ao conteúdo das provas, especialistas em concurso acreditam na manutenção das disciplinas cobradas no concurso aberto no ano passado (para São Paulo e Distrito Federal): Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico-Quantitativo, Informática, Direito Administrativo, Direito Constitucional, Arquivologia e Gestão Pública. E devido às vagas para a Receita, alguns indicam ainda o estudo dos direitos Previdenciário e Tributário por parte daqueles que estão se preparando. As duas disciplinas foram cobradas no concurso de 2009, que também foi destinado à Receita Federal.

Nos dois concursos já realizados para o cargo, a seleção foi feita exclusivamente por provas objetivas. Na nova oportunidade, caso o edital seja mesmo divulgado este mês (há prazo até maio do ano que vem), as provas serão realizadas a partir de fevereiro, observando-se o intervalo mínimo de 60 dias previsto no Decreto 6.944/09. Pela lógica, as avaliações serão aplicadas ao menos nas capitais dos estados com vagas.


Português é matéria garantida. Veja dicas

Língua Portuguesa é uma das disciplinas que certamente serão mantidas para o novo concurso de assistente técnico-administrativo do Ministério da Fazenda. E na opinião do professor Augusto Rua, do Curso Progressão, a matéria deve repetir o mesmo protagonismo das duas seleções já realizadas, quando, além de ter peso dois e responder por 67% dos pontos de Conhecimentos Básicos, foi eliminatória e o principal critério de desempate. “É um ponto marcante da Esaf, dar ênfase às questões de Língua Portuguesa”, observou.

O especialista na disciplina afirmou que, em geral, o programa de Língua Portuguesa costuma ser repetido nos editais e indicou o estudo das características da banca organizadora, revendo provas anteriores e fazendo o maior número de exercícios possível. Como principais assuntos a serem estudados, Rua apontou Estrutura das Palavras e Verbos. “Estrutura das Palavras é matéria considerada fundamental, tendo em vista que se relaciona como a base da nossa língua, seguida dos verbos, pois abordará toda a sintaxe.”

Rua destacou a importância do auxílio especializado para que o futuro candidato alcance o objetivo da conquista da vaga. “Um curso preparatório voltado para a banca organizadora e livros didáticos especializados revelam mais da metade das possibilidades de o candidato obter êxito”, avaliou. Segundo o professor, a Esaf costuma utilizar textos bastante longos nas provas de Língua Portuguesa.
“As questões costumam ser interdisciplinares e muito bem elaboradas na ordem de intertextualidade, facultando ao candidato um cansaço excessivamente grande”, disse ele. “As questões de crase e orações subordinadas sempre são alvos dessa banca, e os candidatos devem evitar os macetes em tais situações e aprofundar o entendimento”, completou. Rua destacou ainda o cuidado que o candidato deve ter com a interpretação dos enunciados, ficando atentos a expressões como ‘assinale o falso’, ‘marque o erro’ e ‘identifique certo ou errado’, entre outras.
Folha Dirigida 

Nenhum comentário: