sábado, 12 de abril de 2014

Comerciante pega 14 anos de prisão por morte de radialista em Caicó

Lailson Lopes vai cumprir pena em regime fechado pela morte de F. Gomes.

Sentença do comerciante foi lida no fim da tarde deste sábado, em Caicó.

Do G1 RN
a
RadialistaF. Gomes, assassinado em 18 de outubro de 2010. (Foto: Sidney Silva/Cedida)RadialistaF. Gomes, assassinado em 18 de
outubro de 2010. (Foto: Sidney Silva/Cedida)
O comerciante Lailson Lopes foi condenado a 14 anos de prisão em regime fechado por ser um dos mandantes do assassinato do radialista Francisco Gomes, em 2010, na cidade de Caicó, região Seridó do Rio Grande do Norte. A sentença de Lailson foi lida pelo juiz Criminal de Caicó, Luiz Cândido Villaça, na tarde deste sábado (12). O advogado dele, Aneziano Gomes, disse que irá recorrer da sentença.
Os jurados entenderam que, conforme defendia o Ministério Público, Lailson Lopes é um dos mandantes da morte de F. Gomes. Gordo da Rodoviária, como é conhecido Lailson, alegava inocência. "Aceitamos a decisão, mas antecipo que iremos recorrer", falou o advogado de Lailson após a leitura da sentença.
Julgamento
Os dois primeiros dias foram dedicados a ouvida das testemunhas e a mostra de vídeos de depoimentos gravados durante a instrução processual dos demais réus. Ao todo, 16 testemunhas, sendo oito arroladas pela defesa e oito pela acusação, foram ouvidas.
O advogado Aneziano Ramos, que defende o Gordo, sustenta que seu cliente não mandou matar o jornalista F. Gomes. Ele disse que a avaliação que faz do júri é positiva. "O julgamento serve justamente para se discutir as provas, para se esclarecer dúvidas, explicitar detalhes e proporcionar aos jurados que eles possam julgar com segurança, que eles saibam o que estão fazendo. O juiz está tendo atitudes extremamente democráticas, sendo imparcial. Ele nos permite trabalhar com a verdade dentro da lei", disse.
No depoimento, o Gordo da Rodoviária contou que ouviu de Rivaldo Dantas que um tenente-coronel da Polícia Militar é que tinha interesse na morte de F Gomes. "Lailson deixou bem claro que não sabe quem é esse coronel. O que ele sabe é o que foi dito pelo advogado Rivaldo Dantas", afirmou. Rivaldo Dantas é réu no processo também acusado de ser mandante da morte de F. Gomes.
F. Gomes apresentando o Cidade Alerta na Rádio Rural AM de Caicó - crédito da foto: Páulo Júnior - Jornal Correio do Seridó 


O promotor de Justiça Geraldo Rufino disse que esperava que o júri transcorresse como está, tendo o Gordo afirmando que é inocente. Ele usa até uma camisa com a palavra "inocente". "A nossa avaliação é de que o Lailson é culpado. A versão que ele apresentou no plenário não tem lógica. Toda a história mostra que havia uma comunhão entre Lailson, Rivaldo e o Pastor. Eles três estavam juntos o tempo todo, e Dão se soma a esse grupo", destaca.

Nenhum comentário: