sábado, 12 de abril de 2014

Laílson depõe, se diz inocente, e reafirma que pastor, advogado e tenente-coronel tramaram morte de F Gomes


Laílson Lopes prestou seu depoimento no banco dos réus do Tribunal do Júri da Comarca de Caicó, no início da noite de hoje, sob o olhar atento dos sete jurados que decidirão se ele é culpado ou inocente pela autoria intelectual da morte de F Gomes. Na primeira parte do interrogatório, as perguntas foram feitas pelo juiz da Vara Criminal de Caicó, Luiz Cândido de Andrade Villaça, que coordena os trabalhos do julgamento. Logo após, foi a vez do promotor Geraldo Rufino e do advogado Anesiano Ramos inquirir o réu. Em linhas gerais, o Gordo da Rodoviária, como é conhecido, reafirmou o que havia dito no depoimento em vídeo exibido na manhã desta sexta-feira no plenário do salão do júri Siloé Capuxu. Ele alegou total inocência pela morte de F Gomes e incriminou o pastor Gilson Neudo, o advogado Rivaldo Dantas, e o tenente-coronel Marcos Antônio de Jesus Moreira.

CONFIRA OS PRINCIPAIS TRECHOS DO DEPOIMENTO DE LAÍLSON LOPES


LAÍLSON REAFIRMA QUE É INOCENTE

Ao ser perguntado se tinha algum tipo de participação na morte de F Gomes, Laílson Lopes disse ser inocente e não ter envolvimento no homicídio.

LAÍLSON INCRIMINA ADVOGADO, PASTOR E TENENTE-CORONEL

Respondendo a uma pergunta do juiz, Laílson Lopes contou que Rivaldo ( Rivaldo Dantas, advogado e um dos indiciados pelo MP) lhe falara que o então, major Moreira, (hoje tenente-coronel Marcos Antônio de Jesus Moreira), mandou o advogado arrumar alguém que pudesse matar F Gomes. Ainda segundo o réu, ele só veio saber disso dias depois, quando o advogado e o pastor Gilson Neudo lhe contaram tudo.

AMEAÇARAM MATAR MEU FILHO, DIZ LAÍLSON

Ao ser questionado porque não havia contado a história logo que foi preso, no início de 2011, Laílson Lopes disse que não poderia fazê-lo porque ameaçaram matar o filho dele, caso viesse a contar a verdade.

SOBRE AS AMEAÇAS

Lailson disse em seu depoimento que Rivaldo Dantas o ameaçou dizendo: " Você acha que um homem que mandou matar F Gomes não mandaria matar você e sua família?" ( palavras do réu )

Depois foi a vez de Dão proferir: "Ele manda em 300 homens no estado e pode acabar com sua família", referindo-se ao tenente-coronel Moreira. Laílson ainda afirmou não ter qualquer mágoa de F Gomes e negou que tivesse encontrado Rivaldo no mesmo dia do crime, como o advogado falara em interrogatório exibido anteriormente para os jurados.

ADVOGADO DE DEFESA FAZ PERGUNTAS A LAÍLSON LOPES

Depois de ser interrogado pelo Juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça e pelo promotor Geraldo Rufino, o seu advogado de defesa, Anesiano Ramos, passou a inquiri-lo.

Laílson reiterou a Anesiano que não mandou matar F Gomes e nem tampouco instruiu Dão a cometer o homicídio, além de não fornecer-lhe a arma do crime. Disse que só soube do envolvimento dos outros, (pastor, advogado e tenente-coronel), dias depois do crime.

Falou que passou a suspeitar que Rivaldo e Gilson Neudo pudessem ter envolvimento com a morte de F Gomes depois que ficou sabendo que Dão era o assassino confesso do radialista.


LAÍLSON SE EMOCIONA E DIZ QUE SUA VIDA FOI DESTRUÍDA

Visivelmente emocionado, e chorando copiosamente, Laílson Lopes disse que sua vida foi destruída, assim como seu casamento. " Tiraram tudo de mim e me jogaram no inferno", afirmou. Ainda falou que o que estão fazendo com ele é covardia, que conhecia F Gomes há 20 anos e não mandaria matar o radialista. Também disse que nunca proibiu sua ex-esposa de trabalhar ao lado de F Gomes. Disse que não sentia ciúmes porque tanto a ex-esposa, quanto o radialista eram pessoas de respeito. Reafirmou sua inocência e se diz injustiçado

CARTA ANÔNIMA

Sobre uma carta enviada à Justiça caicoense, com conteúdo incriminatório contra o advogado Rivaldo, o pastor Neudo, e o tenente-coronel Moreira, o Gordo disse não ter sido ele que escreveu. A carta ainda afirmava que Laílson era inocente das acusações de homicídio.

JULGAMENTO SUSPENSO 

Após o depoimento de Laílson Lopes, que acabou às 21 horas, o julgamento foi suspenso pelo juiz Luíz Cândido de Andrade Villaça, devendo os trabalhos serem retomados amanhã às 9 horas, data em que sairá a sentença que absolverá ou condenará Laílson.


Por V&C Artigos e Notícias  

Nenhum comentário: