domingo, 14 de setembro de 2014

PMDB sairá maior após eleição deste ano


Vice presidente comanda o partido nacionalmente - Foto: Valter Campanato/Ag. Brasil
As eleições de 2014 devem ampliar a força do PMDB no cenário político nacional, aumentando a presença do partido nos governos estaduais e no Congresso Nacional. Um estudo da Arko Consultoria estima que a sigla vai alcançar o maior número de governadores e senadores neste ano. O PMDB, segundo o estudo, deve ampliar de sete para dez o número de governos estaduais que comanda.
Apesar de o PT ocupar a presidência da República, é o PMDB quem mais se beneficia da influência da gestão do governo federal, especialmente nas regiões Norte e Nordeste. “O PMDB extrai sua força eleitoral estadual das regiões Norte e Nordeste, onde a influência do governo federal é mais intensa. Mesmo na presidência da República, o PT aparece como favorito apenas em um estado do Nordeste e em nenhum do Norte”, diz o estudo.
O partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve perder espaço nos estados, mas continuará com a maior bancada da Câmara dos Deputados.
Em 2010, o PT elegeu cinco governadores e, na corrida eleitoral deste ano, está à frente nas pesquisas no Acre, onde Tião Viana tenta a reeleição, e em Mato Grosso do Sul e no Piauí, onde os senadores Delcídio Amaral e  Wellington Dias disputam o posto, respectivamente.
O PT tem chances ainda em Minas Gerais, onde o partido pode ter sua vitória mais significativa se derrotar o candidato do PSDB, Pimenta da Veiga. O tucano é o candidato do presidenciável Aécio Neves (PSDB). Minas é o estado onde o embate entre PT e PSDB é mais acirrado.
A consultoria diz ainda que uma eventual derrota do PSDB em Minas terá grande simbolismo nacional, apesar da provável vitória do partido em São Paulo, o maior colégio eleitoral do país. Os tucanos elegeram oito governadores em 2010. A previsão da Arko é que o PSDB conquiste de quatro a sete governos estaduais em outubro próximo, consolidando-se como o segundo partido com maior número de governadores do Brasil.
A legenda tem boas chances em Goiás, Pará, Paraná, Paraíba e Rondônia. Em Goiás, o governador Marconi Perillo busca a reeleição, assim como no Paraná, onde o atual governador, Beto Richa, é o preferido pelo eleitorado, segundo as pesquisas. Na Paraíba, o PSDB está representado pelo senador e ex-governador Cássio Cunha Lima, que lidera as sondagens.
As eleições de 2014 podem trazer de volta ao cenário político – de acordo com a Arko – outro partido que perdeu representatividade desde que o PT chegou ao governo federal: o Democratas. Isso porque, graças à atuação aprovada do prefeito de Salvador (BA), ACM Neto, o DEM ressurge com grande chance de vitória no maior colégio eleitoral da região Nordeste. O candidato Paulo Souto lidera com folga as pesquisas de intenções de voto na Bahia.
A consultoria destaca ainda que o PC do B pode eleger seu primeiro governador desde a redemocratização. Trata-se de Flávio Dino, representante da legenda no Maranhão, que pode derrotar a hegemonia histórica da família Sarney no estado.
“Merecem menção a possibilidade de vitória do PP no Rio Grande do Sul e a consolidação do PSD em Santa Catarina. E o PSB é o favorito para manter o controle de Pernambuco, com Paulo Câmara, o candidato do partido na terra dos falecidos ex-governadores Eduardo Campos e Miguel Arraes”, finaliza.

Por Congresso em Foco 

Nenhum comentário: