quinta-feira, 8 de março de 2012

José Agripino manifesta preocupação com baixo PIB ‘per capita’

Em discurso no Plenário nesta quinta-feira (8), o senador José Agripino (DEM-RN) disse que, apesar de o crescimento do produto interno bruto (PIB) colocar o Brasil como sexta economia do mundo, há outros índices que merecem atenção.
O senador se disse preocupado com o PIB per capita do Brasil, já que o Brasil é apenas o 55º país do mundo nesse ranking. Agripino afirmou que, no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), o Brasil cresceu em renda per capita 1,01% ao ano, enquanto a América Latina cresceu 0,38%. Já no governo Lula (2003-2010), de acordo com o senador, o PIB per capita cresceu apenas 2,85%, enquanto a América Latina alcançou 4,07% ao ano.
- Ao invés de crescer três vezes mais que a América Latina, o crescimento foi apenas a metade. É claro que isso é um dado que preocupa. O que interessa é como vive o brasileiro – afirmou, observando que o índice mostra a real situação de renda da população.
O senador também lamentou o índice de desenvolvimento humano (IDH), que coloca o Brasil no 84º lugar mundial. Agripino pediu mais atenção na geração de emprego e com a balança comercial. Ele disse que é preciso ofertar crédito para as empresas brasileiras, aumentar os investimentos e diminuir a carga tributária. Segundo o senador, o gasto público de qualidade pode tornar o Brasil mais competitivo.
Em aparte, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) elogiou o pronunciamento do colega e cobrou mais investimento em educação e geração de emprego. Ele disse que o país precisa acabar com as “homenagens dos estatutos” e buscar medidas práticas. Segundo o senador goiano, a oposição precisa cobrar resultados e apontar soluções.
Dia Internacional da Mulher
José Agripino também fez uma homenagem à mulher brasileira, por conta do Dia Internacional da Mulher. Ele lembrou que o voto feminino no Brasil chegou aos 80 anos de existência no dia último dia 24 de fevereiro. O senador lembrou que tudo começou com uma potiguar, Celina Guimarães, feminista precursora do voto feminino no Brasil. Segundo o senador, a mulher tem ocupado espaços qualitativos e quantitativos apreciáveis.
- E isso tudo é mérito da mulher – reconheceu.
Da Redação
Agência Senado

Nenhum comentário: