segunda-feira, 16 de julho de 2012

COLUNA IMPACTANTE - NEVES BATISTA - JORNAL CORREIO DO SERIDÓ


Os gestores precisam estar atentos às mudanças internas e externas do ambiente  organizacional. Buscando uma maior flexibilidade, velocidade, inovação e integração para atuar em um cenário em constante mudança.


O Controle é uma função gerencial, consiste na fase do processo administrativo que mede e avalia o desempenho, operacional, financeiro e econômico, além de possibilitar uma ação corretiva necessária para direcionar a empresa. 
Outra característica do controle refere-se à limitada formalização, sendo essa complementada por supervisão direta do proprietário. 


Tendo em vista a não existência de regras escritas, observa-se o reflexo dos valores e a cultura na empresa familiar onde o fundador centraliza as decisões.


O controle por resultados costuma existir em contextos sociais muito competitivos e se destaca pelo sistema de controle financeiro. Nesse tipo de controle ocorre a descentralização através de amplos centros de responsabilidade, assim contribuindo para o aumento das responsabilidades e do grau de autonomia dos gerentes. 


Por outro lado, o controle por resultados deve ser utilizado quando existe a delegação de uma série de funções. Descentralizam-se uma parte importante das decisões, especificam-se uma série de objetivos e padrões relativos ao resultado e avalia-se o comportamento do responsável em função dos resultados almejados.


Nesse tipo de organização, a estratégia é formalizada com ênfase no curto prazo e a tomada de decisão é baseada nas informações gerenciais, bem como nos resultados obtidos.
A descentralização pode destacar-se no controle de forma profissional, também, com o objetivo de aumentar as vantagens competitivas, tendo em vista a expansão dos mercados e a possibilidade de competir livremente.


Em organizações com controles descentralizados, a tomada de decisão tende a ser mais rápida, pois não existe centralização, porém necessita de uma avaliação pelo proprietário em relação as atividades desenvolvidas pelo gerente. 


O controle de gestão oferece informação para o planejamento estratégico sendo observado na sua elaboração, a definição, comunicação e revisão dos objetivos em longo prazo:
• Os resultados são comparados com os objetivos preestabelecidos, tomando-se ações corretivas quando não atingidos;


• Quando os gerentes participam da elaboração do processo orçamentário, as metas são mais facilmente atingidas;


• O ambiente no qual a organização está inserida é competitiva;


• Os funcionários conhecem as estratégias estabelecidas pela organização;


• A missão da empresa está sendo cumprida;


• A cultura dos sócios e diretores influencia no alcance das metas empresariais;


• O sistema de informações é integrado com todas as áreas de negócio;


• Há utilização da informação contábil para a tomada de decisão;


• A delegação de funções é realizada por pessoas de confiança.


O conhecimento sobre os diversos tipos de controle pode auxiliar as empresas a alcançarem resultados mais satisfatórios, avaliando seus processos e coordenando seu planejamento.


 A partir do processo de controle, suas estruturas organizacionais são repensadas, adequando-se as formas de controles operacionais, financeiros e econômicos, com vistas a se obter melhores resultados, em consonância com sua estratégia.


Espera-se que as Variáveis do Perfil Organizacional, venham contribuir com as  empresas, para que possam permanecerem competitivas no mercado onde estão inseridas. 


Por Neves Batista – Contadora/Membro da Academia Norte Riograndense de Ciências Contábeis.

Nenhum comentário: