domingo, 25 de setembro de 2011

Vettel passeia em Cingapura, mas vê Button frustrar título antecipado


Sebastian Vettel passou no GP de Cingapura. Neste domingo, o piloto da Red Bull não encontrou dificuldades para vencer no circuito de Marina Bay, mas faltou a cereja do bolo. O piloto da Red Bull viu frustrada a primeira possibilidade de conquistar o bicampeonato mundial de forma antecipada. A possível comemoração ficou para o GP do Japão, daqui a duas semanas. Vettel precisa de apenas um ponto para assegurar a taça.

Desde a largada, Vettel mostrou que não estava disposto a dar chances aos adversários. Ele disparou na frente após abrir uma grande vantagem para Jenson Button e não foi mais incomodado. O piloto da McLaren, porém, atrapalhou os planos do líder do Mundial, que obteve sua nona vitória nesta temporada.

Com o segundo lugar obtido em Marina Bay, Button adiou a comemoração antecipada de Vettel. O piloto da McLaren assumiu o segundo lugar na classificação do Mundial com 185 pontos, um a mais do que Fernando Alonso. O líder foi a 309 pontos e precisa apenas ser o décimo colocado no GP do Japão para levar a taça, mesmo se Button ganhar a prova.
Com uma vantagem de 124 pontos a cinco corridas do fim da temporada (ou seja, são 125 pontos em disputa), Vettel só perde o título se houver um desastre. Button se tornou o único que sonha com a taça, mesmo com chances bastante remotas. Alonso pode até empatar em número de pontos com Vettel, mas perde para o alemão no número de vitórias.

Felipe Massa teve sua corrida prejudicada por Lewis Hamilton, que furou o pneu da Ferrari do brasileiro ao tentar ultrapassá-lo. O brasileiro terminou a corrida em nono. Rubans Barrichello ficou em 13º, duas posições acima de Bruno Senna. O piloto da Renault foi obrigado a fazer uma parada inesperada nos boxes para trocar o bico do carro após um incidente ao disputar posição.

A corrida
Mesmo sendo uma prova noturna, o GP de Cingapura foi disputado com uma temperatura elevada, em torno dos 31ºC, e umidade relativa do ar em 62%. Além do desgaste provocado pelo calor, os pilotos ainda enfrentaram uma corrida longa (quase no limite das duas horas de duração) e que exige muito dos pilotos.

Na largada, Vettel manteve a primeira posição. Webber, seu companheiro de equipe, não saiu bem e caiu para a quarta posição. Melhor para Button e Alonso, que ultrapassaram o australiano. Hamilton também largou mal e perdeu algumas posições.

Sem sustos, Vettel abriu uma vantagem confortável na liderança. Enquanto isso, Hamilton acelerou para recuperar o terreno perdido com sua largada ruim. O piloto da McLaren não demorou para superar os dois carros da Mercedes. Primeiro, foi Michael Schumacher, com quem travou belo duelo no GP da Itália. Pouco depois, Nico Rosberg também foi ultrapassado.

O ritmo de corrida de Vettel impressionou no início da prova. O líder do Mundial chegou a fazer voltas em torno de 1s5 mais rápidas do que Button, o segundo na pista. Com apenas nove voltas, a diferença entre eles já era superior a dez segundos. A esta altura da corrida, a Ferrari perdeu rendimento por conta do elevado desgaste dos pneus.

Do bloco dos primeiros colocados, Alonso foi o primeiro a parar nos boxe
s, pouco depois de ser ultrapassado por Webber. Massa e Hamilton, que brigavam por posição, pararam ao mesmo tempo, mas o brasileiro conseguiu se manter à frente do inglês. No entanto, a briga não terminou aí.

Na 12ª volta, Hamilton tentou passar Massa e tocou o bico de sua McLaren no pneu traseiro direito do brasileiro, que furou. O inglês danificou a parte dianteira do seu carro. Os dois já haviam se estranhado no treino de classificação, quando Hamilton forçou uma ultrapassagem na volta de saída dos boxes. Massa o criticou por sua atitude.

Os comissários analisaram o incidente e puniram Hamilton com um drive through (passagem pelos boxes). Massa voltou a encontrar o inglês na pista: na 25ª volta, o brasileiro errou e foi ultrapassado pelo piloto da McLaren, que desta vez não cometeu uma bobagem.
O safety car entrou na pista na 30ª volta. Michael Schumacher errou ao tentar ultrapassar Sergio Pérez e bateu. Pouco após a relargada, Webber superou Alonso e assumiu a terceira posição. Vettel continuou tranquilo até receber a bandeirada, mas o segundo lugar de Button o impediu de ser bicampeão em Marina Bay.

A festa, porém, não deve passar da corrida seguinte.

A próxima etapa da temporada será o GP do Japão em 9 de outubro.
Veja a classificação do GP de Cingapura:
1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), 1h59min06s537
2º. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 1s737
3º. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 29s279
4º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 55s449
5º. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), a 1min07s766
6º. Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes), a 1min51s067
7º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 1 volta
8º. Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes), a 1 volta
9º. Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 1 volta
10º. Sergio Pérez (MEX/Sauber-Ferrari), a 1 volta
11º. Pastor Maldonado (VEN/Williams-Cosworth), a 1 volta
12º. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), a 1 volta
13º. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), a 1 volta
14º. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 2 voltas
15º. Bruno Senna (BRA/Lotus Renault), a 2 voltas
16º. Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus-Renault), a 2 voltas
17º. Vitaly Petrov (AUS/Lotus Renault), a 2 voltas
18º. Jerome D’Ambrosio (BEL/Marussia Virgin-Cosworth), a 2 voltas
19º. Daniel Ricciardo (AUS/Hispania-Cosworth), a 4 voltas
20º. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania-Cosworth), a 4 voltas

Abandonaram:
Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari)
Jarno Trulli (ITA/Team Lotus-Renault)
Michael Schumacher (ALE/Mercedes)
Timo Glock (ALE/Marussia Virgin-Cosworth)

Roslan Rahman/AFP
Vettel sobrou no GP de Cingapura, mas festa pelo título foi adiada para o GP do Japão

Nenhum comentário: