sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Por 'rigorosa disciplina' contra câncer, Lula falta a festa do PT

Descrição: Dilma disse que recebe heranças diárias de Lula, que ela classificou como uma referência nacional e internacional. Foto: José Cruz/Agência Brasil
Dilma disse que recebe "heranças diárias" de Lula, que ela classificou como uma "referência nacional e internacional"

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Laryssa Borges
Direto de Brasília
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou nesta sexta-feira carta à direção do Partido dos Trabalhadores (PT) para justificar sua ausência nas comemorações pelos 32 anos de fundação da legenda. Lula, cuja presença foi desaconselhada por sua equipe médica, está em tratamento contra um câncer na laringe e alegou aos militantes petistas estar em uma "rigorosa disciplina" para se curar.

"Queria muito estar hoje em Brasília com vocês. Além de celebrar coletivamente o aniversário do nosso partido, teria a oportunidade de rever e abraçar tanta gente amiga. Meu tratamento de saúde entrou em sua etapa final e devo manter rigorosa disciplina para que volte o mais rápido possível à militância social e política que tanto nos apaixona e mobiliza", disse Lula em trecho da carta.

O ex-presidente disse que estará ao lado do partido em "muitos anos vindouros", mas não fez referência ao iminente processo eleitoral, do qual poderá participar como catalisador de votos em prol do ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, à prefeitura de São Paulo.

No final de janeiro, Lula viajou a Brasília e compareceu às posses do petista Aloizio Mercadante, como sucessor de Haddad, e do físico e atual chefe da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antonio Raupp, como novo ministro de Ciência e Tecnologia.
Antes da cerimônia de posse de Mercadante, foi ovacionado aos gritos de "Lula, Lula" e retirou o chapéu, evidenciando a perda de cabelos, traço mais marcante dos efeitos colaterais da quimioterapia.

O câncer de Lula
Após queixa de dores de garganta, Lula realizou uma série de exames na noite de 28 de outubro. Na manhã do dia seguinte, foi divulgado boletim médico do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, informando que foi diagnosticado um tumor maligno na laringe, que seria inicialmente tratado por quimioterapia.

O câncer na região da laringe é mais comum entre homens e o de maior incidência na região da cabeça e pescoço. Os principais fatores que potencializam a doença são o tabagismo e o consumo de álcool. Já os sintomas são: dor de garganta, rouquidão, dificuldade de engolir, sensação de "caroço" na garganta e falta de ar.

Nenhum comentário: